Todos os posts de Adriano Teles

Adriano Teles, nascido em Aracaju-SE no dia 17 de fevereiro de 1985, mas moro atualmente em Brasília-DF. Sou empresário, apaixonado por viagens e por conhecer lugares novos. Procuro sempre aprender com os outros e estou em busca de novas aventuras e oportunidades. Sou formado em Computação pela UnB, mas prefiro a natureza aos números binários. Pratico escalada e pretendo levar minha vida profissional o mais alto possível. Quanto a vida pessoal, só quero ser feliz ao lado da minha esposa, famílias e amigos!

Lua de Mel – Quênia – Lake Nakuru

Bem vindo ao Lake Nakuru, o paraíso dos flamingos e dos rinocerontes pretos, que de pretos, não tem nada, só tem o interior da boca ou quando ficam sujos de lama.

Saímos cedinho de Abardares, deixando o The Arc e partimos para Lake Nakuru!

Chegamos por volta do almoço, e pegamos um quarto incrível com vista para o lago com uma varanda que era um verdadeiro camarote!

Nos foi aconselhado não dar bobeira com a varanda porque os babuínos lá entram nos quartos em busca de comida.

Almoçamos, fizemos uma uma ciesta e partimos pra um afternoon game drive (leia-se safari)!

Rapidinho chegamos no lago e no caminho um bosque muito style com árvores iguais compunham um padrão muito bonito!

Avistamos diversas aves, mas o que queríamos ver mesmo eram os rinocerontes: cinzas e pretos!

Pudemos ver um bando deles, inclusive uma mãe com seu filhotinho, lindo demais!

Estacionamos a beira do lago, descemos do carro e tiramos algumas fotos dos flamingos e zebras!

Voltamos para o hotel assim que o sol se pôs e tivemos um jantar muito gostoso com direito a música ao vivo!

Missão cumprida, vimos e registramos os rinocerontes e no dia seguinte partimos cedo para Lake Naivasha e em seguida Masai Mara

01-IMG_5484 02-IMG_5489 03-IMG_5491 04-IMG_5506 05-IMG_5508 06-IMG_5511 07-IMG_5513 09-IMG_554110-IMG_5553 11-IMG_5555 12-IMG_5565 13-IMG_5579 14-IMG_5601 15-IMG_5623 16-IMG_5625 17-IMG_5645 18-IMG_5653 19-IMG_5657 20-IMG_5668 21-IMG_5682 22-IMG_5703

Kwa heri!

Lua de Mel – Quênia – Amboseli

O post de hoje foi escrito pela Pá =), espero que gostem!

Saímos de Zanzibar logo cedo, com um aperto no coração por
estarmos deixando aquele paraíso mas ansiosos com o que o Quênia
iria nos oferecer!

Do alto, Zanzibar possui várias ilhotas perto que lembra bastante
o que já vimos nas Maldivas.

A viagem foi curta até Nairobi. Pudemos ver da janela do avião o
Monte Kilimanjaro bem de pertinho… Uma cena privilegiada!

No aeroporto de Nairobi havia uma pessoa nos esperando com uma
plaquinha na mão com nossos nomes. O nome dele é Laurence, nosso
motorista de safaris, que vai passar os próximos sete dias
conosco. Uma pessoa bem tranquila, super educado e doce. Nosso
Safari já começou ali!
Entramos no carro 4×4, com um teto que pode se elevar deixando um
espaço para podermos ficar em pé apreciando o que pudessemos ver
pela frente!
Saindo do aeroporto, o Laurence falou para ficarmos atento pois
era possível avistar zebras pelo caminho… as zebras não
apareceram mas mal pude acreditar ao ver na cidade, ao lado da
rodovia, uma girafa se alimentando!

Foi uma viagem longa até Amboseli, umas 4h, que valeram a pena.
Amboseli é um parque ecológico, sem cercas, ou seja, os animais
circulam como querem, um leão pode aparecer até em Nairobi.
Possui alguns hotéis e muitas vias para fazer safari. O nome
“Amboseli” significa “poeira” e pudemos comprovar o pq logo de
cara! É muuuuita terra fininha que sobe com o vento ou com o
passar dos carros.

Os pontos altos do parque são:
– Estar aos pés do Monte Kilimnjaro,
– Ter muitos elefantes… em um só dia vimos mais de 100!

Tudo por aqui é “muito”. Os animais andam em bando e para nossa
alegria, ou estavam com filhotes ou estavam em honneymoon!

Incontáveis zebras, guinus, elefantes, hipopótamos (fora d’água
em plena luz do dia, algo bem difícil de se ver), hienas com
bebes, algumas lindas girafas e um casal de leões apaixonados!

Os leões foram um caso a parte! A leoa super cansada por passar
as 2 últimas semanas sem caçar, apenas namorando e o leão deitado
ao lado dela, só esperando ela acordar e a protegendo de outro
leão que estava na espreita, perto dalí, querendo “roubar” a
leoa! Tudo isso bem pertinho da gente!

Nosso hotel fica no meio da natureza! Fomos presenteados com um
quarto com uma vista linda para o Monte Kilimanjaro, podíamos
vê-lo mesmo deitados na cama. O Dri mal acreditava e quis logo
fotografar tudo! Conversou com o segurança do hotel para saber se
era seguro deixar a câmera dele na varanda do quarto, tirando
fotos automaticamente durante a noite toda (o medo é dos macacos
aparecerem e levarem a cam!). O swahili do Dri ajuda muito!
As pessoas perguntam se ele mora em Nairobi e ele só tem
aprimorado aprendendo mais frases a cada dia!

O quarto do hotel era maravilhoso! Segundo o Dri, parecia uma
barraca do Indiana Jones, só que “playboy”… Tenho que rir com
os comentários do meu marido!

Amamos tudo o que vimos e vivenciamos neste lugar! Foram 2 dias
incríveis que ficarão para sempre na memória!

Saindo daqui, vamos seguir viagem para Abardares, que é o local do hotel do post anterior!

02-IMG_2922 03-IMG_2945 04-IMG_2975 05-IMG_2991 06-IMG_2992 07-IMG_3001 08-IMG_3552 09-IMG_3588 10-IMG_3622 11-IMG_3636 12-IMG_3640 14-IMG_3676 15-IMG_3684 16-IMG_3698 18-IMG_3737 19-IMG_3745 20-IMG_3747 22-IMG_3769 23-IMG_3773 24-IMG_3792 26-IMG_4010 27-IMG_4014 28-IMG_4037 29-IMG_4042 30-IMG_4047 31-IMG_4097 32-IMG_4111 33-IMG_4132 34-IMG_4155 35-IMG_4167 36-IMG_4182 37-IMG_4213 39-IMG_4735

Criei um álbum no Flickr com muito mais fotos e você pode vê-las clicando aqui.

Kwa heri!

Lua de Mel – Quênia – The Arc

É incrível como depois de um dia tão emocionante como foi o do restaurante The Rocks, eu pudesse me surpreender tanto nos dias seguintes também. Foi assim com o Quênia!

Este é um post já do 3o dia no Quênia, mas depois eu volto para contar como foram os dois primeiros.

Depois de partir cedo, ás 7h30, de Amboseli, e de me despedir do Kilimanjaro, tiramos algumas fotos no caminho e pegamos a estrada em direção ao Parque Abardares.

Até sair do parque de Amboseli, estrada de terra, por uns 30min, deopis asfalto, mão dupla! Na primeira 1h de viagem, vimos mais vacas atravessando a pista do que carros passarem. Mas em algum momento, já mais perto de Nairobi, o trânsito começou a ficar pesado, engarrafamento, poluição, muitos caminhões e ultrapassagens bem tensas!

Pra quem é de Brasília e conhece a fábrica de cimentos Fercal, aqui, a fábrica de cimentos se chama Simba e seu slogan é: “King of the concrete jungle.”. E a logo, é claro, é um leão! A galera da escalada deve ter curtido esse paragrafo!

Paradinha para almoçar em Nairobi, chegamos antes do almoço ser servido, então aproveitei para ir sacar dinheiro. Tensão! O caixa mais perto era num shopping, parecido com o que sofreu o ataque terrorista aqui em Nairobi, há mais ou menos um mês e onde mais de 70 pessoas morreram. Policiais nas entradas do shopping revistam as pessoas, fui rapidinho no caixa, saquei a grana e voltei são e salvo pro hotel aonde iríamos almoçar.

Almoço top, free wi fi, boa hora pra ver alguns emails e postar foto no instagram =).

Depois de mais 3h de carro, chegamos no Country Club de Abardares, deixamos nossas malas e só pegamos uma muda de roupas para passar uma noite no The Arc. Wow de novo! Mais um lugar incrível que nos surpreendeu, já conto o porquê.

O hotel fica numa região montanhosa, aproximadamente 2500m acima do nível do mar. Vegetação mais densa e alta, mais complicado de avistar animais de longe, porém esse clima diferente deu novos ares ao Safari.

Entre o Country Club e o The Arc, fomos levados de ônibus e logo na entrada do parque já encontramos javalis (no estilo Pumba do Rei Leão), búfalos (ok, isso a gente vê no Brasil), elefantes (legal, já tínhamos visto centenas em Amboseli), mas, mesmo de longe, avistamos leopardos, wow, fiquei muito feliz, eles são mais raros de se ver e já vimos logo dois.

O hotel é muito legal, todo de madeira e a ideia é ser uma Arca de Noé. Ele fica estratégicamente localizado em frente a um laguinho onde cirulam animais o dia e a noite inteira. De qualquer lugar do hotel pode-se observá-los pelas janelas de vidro ou varandas.

Onde quer que você esteja, você olha pela janela e parece que você está assistindo ao National Geographic ao vivo!

Nos primeiros 30min de hospedagem já pudemos ver vários elefantes, búfalos e uma hiena.

O hotel tem câmeras ao vivo 24h/dia e quando algum animal é visto, eles tocam uma sirene, para todo mundo ir para algum observatório. As sirenes tem um código: se tocar uma vez significa elefante, duas, rinoceronte, três, leopardo, e 4 vezes, algum animal mais raro, como uma hiena, que tivemos a sorte de ver já duas vezes.

Outra coisa que faze o hotel ser muito legal: os quartos possuem roupões pendurados num cabide perto da porta, para cada toque uma sirene e você esteja desprevinido no modo de vestir, é só botar o roupão e correr pra um observatório.

Eu falei que era friozinho aqui né? Voltar da varanda fria pra cama no meio da noite deve ser ruim né? Não aqui, eles colocam umas bolsas de água quente de baixo da coberta para esquentar a cama, demais né?

Mais uma curiosidade: as portas dos quartos não tem chave, basta apertar a maçaneta e entrar.

A decoração é incrível, de madeira, com sofaszões e poltronas de couro, com mantas de estampa de zebra, leopardo e uma cabeça de rinoceronte na parede, em cima de uma lareira. Mas tudo de mentira, só pra ambientação e para deixar o lugar muito aconchegante!

Jantamos, com dieito a salada, sopa, principal e sobremesa, tudo no esquema full board. Fomos para o quarto tomar banho, quando tocou a sirene três vezes, era um leopardo na frente do The Arc. Me vesti rapidamente, peguei a máquina, mas quando cheguei lá, ele já tinha se escondido na mata, de qualquer forma, foi divertido ouvir a sirene e ter que sair correndo para ver o que que é!

Noite tranquila, cama quentinha, acordamos cedo, pra variar, e partimos rumo ao Lake Nakuru!

Seguem alguns cliques da estada, ou seria estadia, já que estávamos na Arca de Noé?

01-IMG_4783 02-IMG_4785 03-IMG_4806 04-IMG_4807 05-IMG_4810 06-IMG_4811 07-IMG_4819 08-IMG_4822 09-IMG_4845 10-IMG_4854 11-IMG_4855 12-IMG_4899 13-IMG_4907 14-IMG_5384 15-IMG_5393 16-IMG_5395 17-IMG_5408

Kwa heri!

 

Lua de Mel – Zanzibar – The Rocks

Lua de Mel – Zanzibar – The Rock Restaurant

WOW! O post de hoje vai ser dedicado ao restaurante mais incrível que eu e meu amor já
fomos na vida, o The Rocks Restaurant.

No dia anterior a noite, havia feito uma reserva para 2 as 13h no The Rocks. Eu já havia
visto fotos, mas sempre desconfiei que aquilo ali pudesse não ser verdade. A ligação para a
reserva era um primeiro passo para começar a acreditar.

Ontem de manhã, liguei novamente para confirmar e eles já tinham meu nome lá, o sonho pra
mim já estava se tornando realidade ali naquele momento.

Como os taxis no hotel eram mais caros, fui até a praia pra falar com o Said, um local que
eu tinha ficado brother e que arrumou uns tours pra gente durante toda nossa estada na
ilha.

Fechamos um preço, e as 11h15 partimos para confirmar se o restaurante realmente existia.
1h45min e 90km depois, chegamos em Michamwi Pingwe, a praia onde fica o The Rocks.

Saimos do carro, e lá estava ele, em cima da pedra, com cobertura de palha e paredes
branquinhas. A Pá ficou tão emocionada que falou que estava com vontade de chorar. Eu não
sabia se o sonho tinha se concretizado ou se ainda estava sonhando.

Fomos logo em direção a ele, tirando muitas fotos pelo caminho e andando com cuidado, pois
o caminho até ele é de areia, pedras, algas e musgo. Era mais escorregadio que perigoso.
Pra dizer a verdade, parecia até um tapete de tão macio e fofinho que era pisar ali. A Pá
logo avistou um barco tradicional Zanzibariano e fomoo em direção a ele. Mas, antes, subi
as escadas que levam ao restaurante para deixar nossos chinelos e para ir ao banheiro.

Nossa reserva estava pronta e nossa mesa preparada a direita, sob uma janela que dava para
uma das vistas mais espetaulares que já tivemos.

Cumprimentei os garçons: Mambo Jambo, Habari za Mchana e disse que voltava em breve.

Fui em direção a Pa que ja estava dando uma volta pela parte mais fácil de areia e indo em
direção aos barcos. Ela corria, pulava, rodava de tão feliz! E de longe eu ouvia: Meu
amooorrr, vemmm, isso aqui é muito linnndooo, nooossaaa!!!

Ficamos tirando fotos por 40min, nem vimos o tempo passar ou sentimos o Sol das 13h45, foi
um dia perfeito!

Chegou a hora de almoçarmos, recebemos o menu e a carta de vinhos, que vinham enquadrados
com direito a moldura e vidro. Não resisti, eu tinha que celebrar, falei pro meu amor que
o momento pedia uma Champanhe, e mesmo ela não bebendo concordou! Escolhemos nossos
pratos, a Pa pediu um Tagliatelle com lagosta e eu o The Rock Special, um combinao com
lagosta, camarão jumbo, peixe e calamari.

Brindamos, tiramos mais fotos, e quando chegou a comida, OMG, WOW, era muita comida. Eu
não sabia que meu prato dava pra dois, vieram cerca de quatro lagostas pequenas, uma
fileira enorme de calamari, eu nunca havia visto calamari assim, parecia uma coluna
vertebral, branca cheia de vértebras, mas só de carne. Um camarão jumbo, jumbo mesmo e
mais dois filés de peixe, mas uma salada e batatas fritas de acompanhamento.

Comecei pelo camarão, uma delícia! Depois fiquei alternando entre os outros frutos do mar.
Por mais que eu me esforçasse, só não sobrou camarão, nem consegui tocar em duas das
lagostas e um filé inteiro do peixe. Foi meio triste não conseguir comer a comida, não
costumo deixar nada no prato, principalmente quando se trata de pratos tão gostosos e
raros no meu dia dia.

A Pá também não aguentou o dela, e o que geralmente acontece, eu como o que sobrou, mas
dessa vez, não teve jeito.

Bebi quase toda champanhe, já estava alegre com a comida e o lugar, fiquei mais ainda com
o álcool hehe.

Na frente do The Rocks, tem uma varanda, tipo um lounge, e ficamos lá tirando fotos
enquanto a maré subia e fazia o restaurante virar uma ilha.

Quando deu quase 16 horas, tomamos coragem de ir embora, não queríamos sair de lá, era uma
experiência meio mágica!

Mas, sabíamos que se já era hora de irmos!

Demos as últimas contempladas do restaurante e da paisagem e descemos as escadas para
andar até a praia, só que agora, com água até o joelho, um desfecho simplesmente pereito!

Da praia, tiramos as últimas fotos, encontramos uma local e pedimos pra ela registrar esse
momento inacreditável de nossas vidas: eu e meu amor em frente ao restaurante mais
incrível que já soubemos da existência!

01-IMG_2327 02-IMG_2336 03-IMG_2358 04-IMG_2363 05-IMG_2364 06-IMG_2369 07-IMG_2375 08-IMG_2377 09-IMG_2381 10-IMG_2390 11-IMG_2405 12-IMG_2415 13-IMG_2440 14-IMG_2458 15-IMG_2466 16-IMG_2478 17-IMG_2491 18-IMG_2495 19-IMG_2501 20-IMG_2502 21-IMG_2509 22-IMG_2515 23-IMG_2516 24-IMG_2517 25-IMG_2519 26-IMG_2526 27-IMG_2529 28-IMG_2538 29-IMG_2546 30-IMG_2555 31-IMG_2563 32-IMG_2565 33-IMG_2571 34-IMG_2579 35-IMG_2585 36-IMG_2594 37-IMG_2599 38-IMG_2606 39-IMG_2609 40-IMG_2610 41-IMG_2615 42-IMG_2620 43-IMG_2624 44-IMG_2635 45-IMG_2647 46-IMG_2656 47-IMG_2659 48-IMG_2660 49-IMG_2663

Kwa heri! Lala salama!

Lua de Mel – Zanzibar – Dive

Acordamos as 7 e partimos 8h15 para mergulhar aos arredores de Mnemba, uma ilha particular que possui um hotel com apenas alguns quartos exclusivos ($$$$$).

Saímos do hotel e fomos caminhando para o Dive shop, onde pegamos um barco no estilo bote inflável e partimos em direção a Mnemba. Depois de uns 20min de barco, encontramos alguns golfinhos no caminho, que surfaram as ondas feitas pela barco, ficamos andando em círculos por alguns segundos e vendo-os surfar.

Fizemos o primeiro mergulho de rotina, o famoso check dive e com a água a 26 graus, vimos garden eels, reef fishes e blue spotted ray (arraia de bolinhas azuis). Ficamos submersos por cerca de 50min e profundidade média de 15m, max de 18m. Havia uma corrente forte, mas estávamos a favor, então pratiamente nem precisamos nadar, só ficar parado e esperar a corrente te levar.

No segundo mergulho, condições muito semelhantes, mas desta vez pudemos ver um white tip shark há uns 4m de distância assim como outras duas blue spotted rays.

Uma das dive guides era Argentina e estava trabalhando em Zanzibar pela segunda vez. Filha de donos de dive shops, tem centros de mergulho em Puglio e Sardenha, na Itália, pegamos o contato dela =).

De tarde ficamos na piscina e de noite massagem no Spa com direito ao barulho do mar e pôr do sol na beira da praia.

01-IMG_1869
Nungwi Beach. Masai vindo em nossa direção!
02-IMG_1874
Em frente ao Dive Shop: East Africa Divers
03-IMG_1881
Golfinhos no caminho de Mnemba
04-IMG_1906
Mnemba Area / Dive Sight
05-IMG_1911
Ainda em frente do Dive Shop.
07-IMG_1924
Silhueta de um Masai, tirada da praia do nosso Hotel.
09-IMG_1934
Mesa de jantar que nos aguarda amanhã!
10-IMG_1941
Meu amor no Spa ao por do sol.
06-IMG_1923
O Dive Shop.

08-IMG_1927

1-IMG_1945
#hardlife
11-IMG_1955
Da varanda do quarto.
12-IMG_1961
Da varanda do quarto, mas virado pra entrada do hotel.

Em breve, mais fotos!

Abs

Lua de Mel – Tanzânia – Stone Town

Ontem meu amor e eu fizemos um passeio por Stone Town, o centro de Zanzibar. A cidade recebe esse nome porque as edificações eram feitas de pedra, tiradas do fundo do mar, assim como o bairro Coral Gables em Miami – FL.

A cidade é bem pequena mas muito estilosa, cheia de corredores estreitos onde os pedestres dividem a rua com vespinhas. No caminho muitas lojas turísticas, mas também onde os locais fazem compras, como o mercado de peixes, carnes e especiarias.

Seguem algumas fotos:

01-IMG_1657

02-IMG_1663 03-IMG_1677 04-IMG_1681 05-IMG_1695 06-IMG_1704 07-IMG_1705 08-IMG_1711 09-IMG_1718 10-IMG_1719 11-IMG_1720 12-IMG_1726 13-IMG_1729 14-IMG_1733 15-IMG_1735 16-IMG_1740 17-IMG_1746 18-IMG_1758 19-IMG_1769 20-IMG_1770 21-IMG_1774 22-IMG_1779 23-IMG_1780 24-IMG_1785 25-IMG_1786 26-IMG_1791 27-IMG_1794 28-IMG_1798 29-IMG_1801 30-IMG_1802 31-IMG_1808 32-IMG_1809 33-IMG_1819 34-IMG_1827 35-IMG_1830

36-IMG_1842
Durante as 1h de carro do hotel até Stone Town, esse é o padrão de construção que se vê, tanto para as casas dos Zanzibarianos quanto para o comércio local. Apenas Stone Town tem todo o charme das fotos acima.

 

 

Abs e até breve!

Lua de Mel – Tanzânia

Olá galera,

Só tenho mais quinze minutos de internet então vou me concentrar mais em postar fotos do que escrever. A primeira foto é na África do Sul e o restante aqui na Tanzânia! Chegamos ontem e o lugar é incrível!

Aeroporto de Cape Town
Aeroporto de Cape Town
Aeroporto de Dar es Salam
Aeroporto de Dar es Salam – Tanzânia
Amizade no Aeroporto de Zanzibar
Amizade no Aeroporto de Zanzibar. Aprendendo um pouco de Swahili pra me entrosar com os locais!
Karibu @Royal Zanzibar
Karibu @Royal Zanzibar
Masai Fashion
Masai Fashion
Hakuna Matata
Hakuna Matata

  IMG_1396 IMG_1441 IMG_1469
IMG_1514 IMG_1535 IMG_1560 IMG_1576 IMG_1586

Lua de Mel – O embarque

Wow, que noite foi a do dia 12.10.2013!

Vim acompanhar as estatísticas do blog e vi que ele deu uma bombada nos acessos ontem, então resolvi postar aqui principalmente para agradecer!

Obrigado a todos que puderam comparecer e me ajudaram a ter a melhor noite da minha vida!

Por enquanto, segue minha felicidade em estar embarcado em lua de mel com o amor da minha vida! O upgrade não saiu, o vôo tava lotado, mas primeira fileira da econômica tava patrão!

20131014-063631.jpg

20131014-063649.jpg

Fui!!! Beijos!

22 dias para o casamento: Gentileza gera gentileza

Muito cilchê que gentileza gera gentileza? Pode até ser,  mas prefiro olhar pelo ponto de vista de isso ser um princípio que acredito.

Vou contar uma historinha do que acabou de acontecer comigo sobre a gentileza.

Na semana passada eu entrei em contato com a embaixada da Tanzânia para pedir os documentos necessários para o visto e recebi um email com as informações. Fui na segunda-feira desta semana na embaixada levar os documentos e fui informado que estava  faltando uma cópia da reserva do hotel. Voltei pra casa sem dar entrada no visto.

Para aqueles que ainda não sabiam, abortei a lua de mel no Iêmen, as guerras civis e conflitos que estão acontecendo lá me fizeram tomar essa atitude. Embaixadas fecharam, evacuaram várias pessoas do país e até a dona da agência que eu sempre compro as passagens não quis me vender preocupado comigo e com a Pá, valeu Vergínia pela preocupação =).

A embaixada da Tanzânia fica num setor residencial aqui em Brasília, no Lago Sul. Voltei lá hoje, e vi uma pessoa, já fora da embaixada, andando em direção à um caminho entre duas casas que daria na pista principal. Reparei que essa pessoa era a moça que havia me atendido e dado a informação da reserva do hotel. Consegui lembrar o nome dela e chamei: “Ana!”. Ela se virou e eu perguntei se a embaixada já estava fechada, ela disse que sim, que na sexta-feira fechava mais cedo, às 14h30, eram 14h32.

Perguntei se mesmo já tendo acabado o expediente, se ela poderia me ajudar a levar os documentos pra dar entrada hoje mesmo para que eu não tivesse que voltar outro dia. Muito simpática, ela aceitou e encaminhou minha documentação, que agora estava completa.

Como eu havia percebido que ela estava indo em direção a pista, imaginei que ela morasse ali perto ou que estivesse indo pegar um ônibus, ofereci carona e ela aceitou, disse que estava indo pro Conjunto Nacional, que fica aqui do lado da Ink, onde eu tinha que voltar pra trabalhar.

Moral da história: lembrar o nome de uma pessoa que você só viu uma vez na vida pode te economizar uma ida e volta até um lugar, uns 40min do seu tempo, numa semana agitada, agilizar a entrada de um visto para um momento tão importante da sua vida como a lua de mel, e de quebra, a pessoa que foi lembrada ainda ganha uma carona =).

Ps.: a Ana falou enquanto eu dava carona pra ela que se eu não tivesse lembrado o nome dela e chamdo algo como Ei, Psiuuu, ela nem olharia e passaria reto, não teria me atendido.

Fico feliz de pensar que este lugar me aguarda:

Zanzibar
Zanzibar

 

 

33 dias para o grande dia

Ahhh o grande dia! Está chegando!!!

Meu amor me liga do shopping ontem dizendo que havia encontrado meu terno. Dei um break das gravações do curso de canvas para o FazINOVA e fui correndo experimentar. Vesti o terno rapidinho, a Pa amou! Como ela sabe que não sou muito fã de terno e pra mim o que importa é a opinião dela,  se ela gostou, eu gostei e agora já tenho roupa pra ir no meu casamento. É claro que eu não pude dar opinião na roupa dela, só no grande dia, que eu tenho certeza que ela vai estar maravilhosa e não sei nem qual vai ser minha reação!

Por falar em break, esse final de semana foi uma doideira! No último post foram as gravações do Save the Date, neste, as do curso de canvas para o FazINOVA. Foram 16h de gravações no sábado e 20h no domingo (tá bom,  menos as horas de break pra comer e pra comprar o terno). Terminamos, ufa! Foi muito divertido e com direito a chorar de rir às 5h da manhã de domingo com os erros de gravação, né Bel?

Pra variar, meu amor foi demais comigo neste final de semana, me ajudando nas gravações, agilizando as coisas do casamento, escolhendo minha roupa e tendo toda paciência comigo, o que só reforça meu amor por ela. Meu amor, você é demais! Te amo Palloma Meneghello!

No último post, postei as fotos da gravação do Save the Date, e agora segue o vídeo, que ficou incrível. A galera da Salinha Filmes mais uma vez mandou muito!

[vimeo https://vimeo.com/73000194]

Uma boa semana a todos e até a próxima!